21 de agosto de 2012

            

AMIGO... A PALAVRA PERDEU O SENTIDO? Ou não se faz mais amigos como antigamente?



Como eu falei em uma reunião de amigos de adolescência, há 20 anos atrás, não temos mais amigos como antigamente, e nem com a inocência que havia naquela relação entre adolescentes que éramos, acho até que meu tom foi meio pessimista na época.
 Os tempos mudaram, o mundo mudou, os relacionamentos também mudaram, o ser humano já não é o mesmo, hoje temos uma dúzia de amigos, ou até um pouco menos, alguns dizem: que não dá pra contar nos dedos de uma mão, estou falando dos mais próximos, mas será que são tão próximos como éramos ou como nossos antepassados foram em outras eras? Que amizades são essas? Virtuais? Ocasionais? Continuamos seres geográficos? Mas nossas distâncias diminuíram muito nos últimos anos, principalmente na informação, que hoje é instantânea.
Nós trocamos os papos de calçada, que nossos pais se sentavam nas noites de verão com a vizinhança, pelo computador, impessoal; do armazém do Sr. Joaquim, pelo telefone, impessoal; e das conversas com vizinha por cima do muro, pelo celular, impessoal.
Não tem mais olho no olho, não tem mais cumplicidade, não tem mais o sentido de troca, não temos nem mais o costume de jantar e almoçar sentados, todos reunidos na mesma mesa e horário, em casa, quanto mais com amigos.
Você vai dizer agora; mas o churrasco rola... Sim rola, e muita cachaça também, mas ai vira festa, vira balada, sempre com musica alta, sem papo de troca, nem de energia,  só superficial...novela, silicone, futebol, plástica, mulher do alheio, lipo; na maioria das vezes as pessoas saem sem saber sequer o nome com quem falou durante este tipo de convívio.
          Eu estou querendo falar de amigo que podemos contar sim, que temos certeza da sua cumplicidade, da sua, no mínimo, honestidade; do cara cara, daquele que você fica meses sem vê-lo e quando o vê, parece que foi ontem, o papo continua, a energia é a mesma, parece que a evolução também foi a mesma, a harmonia nem se fala, ali você o tem, pra qualquer obra, este é o sentido mais íntimo desta palavra que não devemos perder de vista, que devemos ter em nosso dicionário como a mais pura das relações, não podemos deixar que esta nossa vida maluca faça com que ela perca este sentido puro.
        Vamos sim, abraçar nossos amigos hoje, vamos sim, tentar resgatar esse sentimento que em nome de uma evolução, está matando nossos relacionamentos, vamos fazer deste dia um marco do quanto podemos evoluir na conquista do amor que está implícito nesta palavra.
AMIGO. Para guardar debaixo do travesseiro, para chorar e rir juntos, para contar e para amar.

ZeluiZ.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Mad&Cerv - 2012. Todos os direitos reservados. Design & Manutenção: Danielle Cristina R. B. dos Santos. Tecnologia do Blogger.