12 de setembro de 2012

            

Era uma vez um anjo de carne e osso...



Ela faleceu quando eu tinha 12 anos. Não me recordo de muita coisa que tenha feito com ela, mas lembro como se fosse hoje um final de tarde despretensioso em que eu, com meus 7 ou 8 anos, fiquei fazendo cócegas nela enquanto assistíamos a alguma novela na tv. A voz dela não sei mais como era, mas o som das gargalhadas que ouvi aquela tarde nunca sairão da minha memória.  Fisionomia, sei de cor: cabelos levemente encaracolados que quase nunca passavam do ombro. Voz mansa e tranquila. Olhos castanhos. Mãos finas e pequenas. Linda. Culta, sempre tinha uma opinião formada para qualquer assunto que fosse debatido. 

Que orgulho. Seu nome era Maria Antonieta de Castro e era minha mãe.

Não tenho como descrever a falta que ela me faz. Foram poucos anos que passamos juntas. Porém sei que meu caráter foi formado por ela. Nunca me bateu. Sempre conversou comigo e me colocava de castigo para eu refletir sobre o que tinha feito de errado. O engraçado era que ela aproveitava da situação. Toda vez que queria me punir por alguma besteira que tinha feito, me tirava a televisão e me deixava no quarto lendo um livro. No final do dia me fazia descrever toda a história que tinha lido. 


Se ela ainda estivesse viva, tenho certeza que seria a minha melhor amiga. Também não tenho dúvidas de que chamaria muito mais a atenção dos homens do que eu...rs...calma gente, minha auto estima é muito boa, porém ela era bem sedutora (minha madrinha me conta cada estripulia que só Jesus para salvá-la viu...rs)! Sei que ela está presente em tudo que faço e que sempre olha por mim lá de cima. Me conforta em todas as horas que me sinto desprotegida. Chego a sentir seu carinho.

Ela é a minha vida, meu porto seguro até hoje.  Saudade? Sinto MUITA! Mas não sou mais daquelas que briga com Deus por tê-la levado tão cedo. Na verdade agradeço. Sou grata por que ELE me deixou viver, mesmo que por pouco tempo, com o meu anjo protetor bem do meu ladinho! E desculpa, essa benção pouquíssimas pessoas têm! Eu sou uma pessoa de sorte!





Um comentário:

  1. Parabéns Fernanda .....que linda declaração de amor !!

    Tenho certeza....que ela nunca deixou de te olhar ...e continua te amando !!!!
    O Amor de mãe ele é eterno !!!

    Bjs,

    ResponderExcluir

© Mad&Cerv - 2012. Todos os direitos reservados. Design & Manutenção: Danielle Cristina R. B. dos Santos. Tecnologia do Blogger.