11 de dezembro de 2012

            

A expressão de uma ideia

Não poderia faltar em nosso calendário um texto. 
Um texto que expressasse exatamente o objetivo dessa ideia: deixar de lado as amarras da sociedade e o preconceito que até hoje amedronta algumas mulheres, descobrindo em cada uma delas uma sensualidade singular. 
E com muita sensibilidade, Sonia Abrão, conseguiu isso. Nos presenteando com esse lindo texto, que agora faz parte do nosso calendário "Luluzinhas 2013".


"Mulherflor do tempo". Não lembro o nome do poeta, nunca mais pensei no verso. Mas, de repente, soa como a definição exata das "LULUZINHAS DO CALENDÁRIO", porque elas são um grito de liberdade que não quer rima com idade. Nada de matemática na vida! 20,30,40...não servem mais como medida feminina, nem do corpo nem da alma. Existir é o que importa. Que se dane o relógio do mundo! O tesão de viver não tem ponteiros!

Cheyla, Ângela, Magali, Milena, Patricia, Fernanda, Silvia, Samantha, Márcia, Karine, Sandra e Mônica fazem de cada foto, mês a mês, uma celebração, uma ousadia, uma barreira que cai, uma alegria, que vão além de 2013, porque tudo isso não cabe em prazo de validade. E haja combinação sonora com sensualidade, vaidade, felicidade, até, acreditem, maternidade! Sim, várias delas têm filhos e dão conta da mamadeira sem abrir mão da cervejinha e do bate papo com as amigas! 

Hoje, as mulheres podem tudo, acabou o castigo da escolha: carreira ou casamento, amor ou sexo, filho ou independência. São multi, multiplicadas! Livres e amadas, nuas (ou quase) e realizadas, trilhando caminhos de paixão e pedras. 

De janeiro a dezembro, vivem suas histórias, mistura de carência e desejos, batalhas do dia a dia , flutuação hormonal, amores e desacertos, sonhos e juros de banco, fuga dos padrões que tentam congelar a chama acesa.

Abaixo a ditadura da juventude e beleza! Às vezes caóticas, mas sempre eróticas! Querem prazer sem carteira de identidade, nada que aprisione no tempo o direito e o dom de viver com intensidade. 

O calendário simboliza essa busca e essa vitória, através de doze mulheres que brincam com seu poder de sedução em novas fases da vida! Afinal, como já dizia a sábia Madame de Sevigné, no século 19, " o coração não tem rugas". Mas eu prefiro a frase da grande feminista Gertrude Steiner, no século 20: "Por dentro, temos sempre a mesma idade." Também acho lindo o que diz a contemporânea Vânia Toledo: "Não tenho idade. Tenho vida!" E viva o século 21!




(Sonia Abrão)
 







Um comentário:

  1. LULUZINHAS, ameeeei o calendário, adorei o texto.
    Vocês arrasaram!!! PARABÉNS , e muuuito Obrigada!
    P.S.: O Jair disse que vai reporduzir mais desse calendário e distribuir na Rodovia!! haha se preparem! Beijo grande, Chris

    ResponderExcluir

© Mad&Cerv - 2012. Todos os direitos reservados. Design & Manutenção: Danielle Cristina R. B. dos Santos. Tecnologia do Blogger.